Painel Principal  :  Notícias (Histórico)  :  CyberCar dispensa...
Notícias - Histórico
 
  Aceleradora   Bolsas & Empregos IPN   Formação  
  Geral   Incentivos   Incubadora   Laboratórios de I&DT   Notas de Imprensa   Prémios   Transf. Tecnologia e PI  
 
CyberCar dispensam condutor
 
Se passar pelo Centro de Reabilitação da Região Centro Rovisco Pais, na Tocha, e vir um veículo que se conduz sozinho não julgue que está a sonhar a ou a ver a série de televisão Futurama. Não. São apenas os Cyber Cars, uma tecnologia desenvolvida pelo Laboratório de Automática e Sistemas do Instituto Pedro Nunes (IPN), da Universidade de Coimbra e pela a empresa MobiPeople.

O CyberCar é um veículo auto-guiado, portanto sem condutor, idealizado para pequenos percursos urbanos. De acordo com uma publicação do IPN, o comando de todos os sistemas de operação (direcção, motorização, accionamentos, iluminação, etc.) é realizado por um controlador da família S7-300 da Siemens, que utiliza como suporte para a sua orientação vários elementos, entre eles sensores e actuadores.

Entre estes elementos podemos encontrar um leitor RFID RF620R, responsável pela identificação dos pontos de paragem e das diferentes etapas de velocidade, cartas de contagem, sensores ultra-sónicos e ainda um laser scanner que permite a minimização de possíveis impactos com objectos que se apresentem no seu percurso.

Para além da autonomia, o CyberCar é também amigo do ambiente, já que é totalmente eléctrico e não poluente. O veículo possui também uma plataforma de comunicação wireless para assinalar as ocorrências como por exemplo a descarga das baterias, garantindo uma rápida manutenção e curtos tempos de paragem.

Embora o projecto do CyberCar tenha como objectivo final o espaço urbano, para já está a ser comercializado e vai ser distribuído em meios mais pequenos, como aeroportos, hospitais, parques naturais, resorts, campos de golfe ou parques temáticos.

Amanhã, o Centro de Medicina de Reabilitação da Região Centro Rovisco Pais, na Tocha, vai receber dois desses veículos, para uma maior autonomia no transporte dos doentes entre pavilhões.

«Trata-se de dois veículos inteligentes, movidos a baterias eléctricas, sem condutor, que autonomamente transportam os doentes entre as enfermarias e os centros de tratamentos, aumentando assim, de um modo ecológico, a sua autonomia», disse à Lusa o presidente do conselho de administração do Rovisco Pais, Manuel Teixeira Veríssimo.

Os CyberCar vão poder transportar até quatro doentes nas respectivas cadeiras de rodas e ainda alguns utentes de pé, explica Teixeira Veríssimo.

Veja aqui como funciona o CyberCar:


Fonte: IOL Diário ;
 
Inserido em 08-07-2010
Temas relacionados <Geral>  <Notas de Imprensa