Painel Principal  :  Notícias (Histórico)  :  Critical Software...
Notícias - Histórico
 
  Aceleradora   Bolsas & Empregos IPN   Formação  
  Geral   Incentivos   Incubadora   Laboratórios de I&DT   Notas de Imprensa   Prémios   Transf. Tecnologia e PI  
 
Critical Software desenvolve tecnologia para satélites da ESA
 
Critical Software, empresa portuguesa com sede em Coimbra, desenvolveu o sistema operativo utilizado pelos satélites Herschel e Planck, que Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) vai lançar dia 14 de Maio, quinta-feira, numa das suas mais complexas missões.

A empresa revela, em nota de imprensa, que integrou o consórcio industrial europeu, liderado pela Thales Alenia Space, que desenvolveu o sistema operativo dos computadores dos dois satélites. O objectivo era adaptar e qualificar o sistema operativo dos computadores desses dois satélites para uma missão que é considerada das mais complexas de sempre da ESA.

O software básico que controla o hardware mais crítico e o computador em si é baseado num sistema operativo de tempo real que a empresa portuguesa adaptou e qualificou especificamente para estas missõs.

Na nota de imprensa ainda é explicado que, “as missões Herschel e Planck são as missões mais complexas alguma vez desenvolvidas pela ESA. A Critical Software foi chamada numa fase difícil do desenvolvimento. Os recursos que podem ser lançados para o espaço são sempre limitados e o sistema operativo excedia bastante os recursos de memória e processamento disponíveis no computador de bordo de cada satélite”.

A empresa portuguesa diz que “conseguiu resolver o problema, adaptou e optimizou o sistema para que este cumprisse com os constrangimentos que existiam, sem comprometer a sua fiabilidade”, evidenciando assim o seu conhecimento em sistemas espaciais complexos.

Segundo a Critical Software, os dois satélites representam “importantes feitos alcançados pela tecnologia europeia”. Ambos vão ter de enfrentar uma viagem de quatro meses a partir da Terra, para uma órbita que se situa a aproximadamente 1,5 milhões de quilómetros da Terra.

Fonte: http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=31401&op=all
 
Inserido em 13-05-2009
Temas relacionados <Geral>  <Transf. Tecnologia e PI