Painel Principal  :  Notícias (Histórico)  :  47 Universidades ...
Notícias - Histórico
 
  Aceleradora   Bolsas & Empregos IPN   Formação  
  Geral   Incentivos   Incubadora   Laboratórios de I&DT   Notas de Imprensa   Prémios   Transf. Tecnologia e PI  
 
47 Universidades brasileiras constituem Grupo de Coimbra
 
O Grupo de Coimbra de Universidades Brasileiras vai ser proclamado amanhã na cidade portuguesa por reitores e representantes de 47 instituições do Brasil, foi hoje revelado.

As universidades fundadoras, a que posteriormente se poderão associar outras instituições similares, adoptam como modelo o Coimbra Group, uma organização criada em 1985 e que actualmente congrega quatro dezenas de entre as mais antigas universidades da Europa.

Constituída como associação sem fins lucrativos, com sede em Brasília, com esta organização pretende-se criar uma rede de ensino para actuação conjunta nas áreas da internacionalização, cooperação académica, excelência no ensino, na investigação e ligação à sociedade.

"Acolhemos esta ideia com muito júbilo. Envolve as grandes universidades brasileiras, o que muito nos agrada", afirmou Avelãs Nunes, vice-reitor da Universidade de Coimbra.

Segundo este responsável, trata-se da primeira organização brasileira que agrega as principais universidades do país, sejam estaduais, confessionais, federais ou estaduais.

De acordo com fonte da Reitoria da Universidade de Coimbra, com este acto dá-se o primeiro passo para o estabelecimento de elos de ligação para o desenvolvimento de projectos de mobilidade entre a Europa e o Brasil.

Cooperação com 47 instituições do Brasil

A Universidade de Coimbra terá também um papel de particular relevância na necessária e desejada cooperação entre o conjunto destas universidades e as que constituem o Coimbra Group, bem como com as associadas das várias redes de que faz parte, na Europa, Mediterrâneo, África e América Latina, acrescentou a mesma fonte.

A criação do Grupo de Coimbra de Universidades Brasileiras - acentuou Avelãs Nunes - irá possibilitar a concretização de formações conjuntas, especialmente em áreas emergentes e de impacte social, ou a criação de redes de investigação orientadas para áreas estratégicas, bem como projectos de ensino graduado e pós-graduado, da mobilidade de professores, estudantes e funcionários e de reconhecimento académico ou científico.

Segundo Avelãs Nunes, no âmbito desta rede será possível equacionar o estabelecimento de acordos de duplas titulações, nomeadamente ao nível da licenciatura e doutoramento, ou a candidatura conjunta a fundos públicos.

Entre as constituintes do Grupo de Coimbra de Universidades Brasileiras fazem parte as mais representativas universidades federais, estaduais, confessionais e comunitárias daquele país. A Universidade Federal de São Paulo, a maior universidade pública, é uma das promotoras e tem sido considerada a melhor universidade brasileira pelo ministério da educação do país.

A cerimónia de proclamação pública deste Grupo irá decorrer a partir das 09h45 de amanhã na Sala dos Capelos, a sala dos grandes actos da Universidade. Nessa cerimónia serão também entregues as insígnias doutorais aos últimos doutorados brasileiros em cada uma das oito faculdades da Universidade de Coimbra.

No entendimento de Avelãs Nunes, esta é uma forma de evidenciar a cooperação praticada pela Universidade de Coimbra.

Ainda na amanhã, durante a tarde, realizar-se-á a primeira assembleia-geral do Grupo, na Reitoria.

Sexta-feira, os reitores e representantes das 47 universidades brasileiras visitam o Museu da Ciência, o Instituto Pedro Nunes, o Instituto de Sistemas e Robótica, o Instituto Biomédico de Investigação da Luz e da Imagem e o Centro de Neurociências da Universidade de Coimbra.

Fonte: Público
 
Inserido em 27-11-2008
Temas relacionados <Geral>  <Notas de Imprensa