Painel Principal  :  Notícias (Histórico)  :  Potencialidades d...
Notícias - Histórico
 
  Aceleradora   Bolsas & Empregos IPN   Formação  
  Geral   Incentivos   Incubadora   Laboratórios de I&DT   Notas de Imprensa   Prémios   Transf. Tecnologia e PI  
 
Potencialidades das microalgas podiam ser melhor aproveitadas
 
Universidade de Coimbra tem a maior colecção do mundo. A colecção de microalgas de água doce existente na Universidade de Coimbra é considerada "a maior do mundo", mas as suas potencialidades estão longe de serem aproveitadas, sendo os estrangeiros os maiores beneficiados até agora.
Na Algoteca da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC) estão quatro mil estirpes diferentes de microalgas de água doce, mais de 300 géneros e mil espécies isoladas de uma vasta gama de habitats, informou a instituição.

A colecção - que está à frente da existente na Universidade do Texas, em Austin - tem sido procurada sobretudo por cientistas e universidades estrangeiras, para investigação fundamental, contou a bióloga Lília Santos, coordenadora da Algoteca.


As microalgas foram colhidas em albufeiras, rios, charcos, monumentos, estátuas, vitrais e paredes, e muitas delas são únicas.

“Temos recebido muitos pedidos a partir da Alemanha, Estados Unidos e Canadá”, referiu a especialista, sublinhando que são os estrangeiros os que mais têm aproveitado o potencial da colecção existente em Portugal. Consideradas a “matéria-prima do futuro”, as microalgas representam um “enorme potencial para aplicação na medicina e na farmácia, pois são-lhe conhecidos efeitos antioxidantes, imunológicos e anti-cancerígenos”, sublinha a investigadora.

“Se tivéssemos capacidade económica para explorar todas as capacidades das microalgas, daríamos passos de gigante em muitas áreas da ciência”, frisou.

Em 2000, a FCTUC submeteu à Fundação para a Ciência e Tecnologia um projecto para o “levantamento das potencialidades de aproveitamento das estirpes de microalgas, mas não foi contemplado” com financiamento.

A Spirulina é a microalga mais cultivada a nível mundial e utilizada no combate à obesidade e na despoluição e regeneração dos solos, a Botryococcus tem aplicação na produção de biodiesel, e a Chlorella é usada na aquacultura e alimentação saudável, exemplifica a bióloga da FCTUC.

Estudos para a produção de biodiesel tem levado entidades estrangeiras a procurar a Algoteca da FCTUC, com destaque para a Austrália, Canadá e Índia, referiu.

A rentabilização das potencialidades da colecção de microalgas, afirma a bióloga, passa por “empresas que queiram apostar nesta matéria-prima e por apoios para aquisição de novos equipamentos”.

A Algoteca reúne “espécies praticamente de toda a flora portuguesa” e é o resultado do trabalho da investigadora Fátima Santos, que há mais de 30 anos se dedica à colheita, isolamento, identificação e manutenção das culturas de microalgas.

Fonte:
 
Inserido em 30-10-2008
Temas relacionados <Geral