Painel Principal  :  Notícias (Histórico)  :  Personalidades da...
Notícias - Histórico
 
  Aceleradora   Bolsas & Empregos IPN   Formação  
  Geral   Incentivos   Incubadora   Laboratórios de I&DT   Notas de Imprensa   Prémios   Transf. Tecnologia e PI  
 
Personalidades da Região Centro defendem abertura de aeroporto Monte Real a voos civis internacionais
 
Coimbra, 14 Jun (Lusa) - Um movimento que reúne um conjunto alargado de personalidades da Região Centro entregou hoje, em Coimbra, ao ministro dos Transportes, um documento em que defende a abertura da base aérea de Monte Real a voos civis internacionais.

"Com a anunciada configuração da rede de aeroportos internacionais em Portugal tornou-se premente a discussão da necessidade e da viabilidade de uma infra-estrutura aeroportuária civil que possa servir a Região Centro de Portugal", é vincado na proposta, cujos primeiros proponentes são Manuel Queiró, Vital Moreira e Paulo Mota Pinto, e que recebe também, entre outros, o apoio de Marinho Pinto, Bastonário da Ordem dos Advogados.

O documento foi entregue hoje por uma delegação desta "plataforma regional em favor de um aeroporto da Região Centro" ao ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações, Mário Lino, durante uma reunião num hotel de Coimbra.

"Recebi o documento. Vamos trabalhar em conjunto para analisar a questão", disse Mário Lino à agência Lusa no final do encontro.

Segundo os mentores do projecto, que reúne personalidades de diferentes orientações partidárias e ideológicas, "existe um amplo consenso entre as forças vivas de uma parte significativa da Região, quer vai pelo menos desde os municípios a Norte da Região do Oeste (distrito de Leiria) até aos municípios do Sul do distrito de Aveiro, no sentido da necessidade e conveniência de uma infra-estrutura aeroportuária aberta à aviação civil na Região Centro".

"A solução que reúne as melhores condições para uma efectivação mais rápida e com menores custos é, numa primeira análise, a da abertura de um terminal para voos civis internacionais na base aérea de Monte Real", sublinham.

Trata-se de estudar "a abertura ao funcionamento de uma infra-estrutura aeroportuária de âmbito regional, que possa receber aviões de médio porte, charters ou regulares, das linhas aéreas que estiveram para tal interessadas (incluindo linhas aéreas de baixo custo)".

"O que está em causa é, sobretudo, a vontade política, a nível nacional, de apoiar ou não um propósito de defesa das condições de desenvolvimento de uma importantíssima região, essencial ao desenvolvimento do nosso país. A nossa tomada de posição tem a esse respeito o claro propósito de intervir em defesa dos legítimos interesses da Região Centro e, por esta via, também do país", sublinham.

Os presidentes das Câmaras de Coimbra, Leiria, Figueira da Foz, Condeixa-a-Nova, Pombal e Marinha Grande, do Conselho Empresarial do Centro e da comissão instaladora da Região de Turismo do Centro são alguns dos mais de 100 signatários do documento.

O bastonário da Ordem dos Advogados, António Marinho e Pinto, os presidentes da Ordem dos Engenheiros - Centro, Celestino Quaresma, e do parque empresarial Biocant, João Moura, e o presidente do conselho de administração do Coimbra iParque, Norberto Pires, são outros dos proponentes, a que se juntam ainda empresários como Henrique Neto (Iberomoldes), Fernando Nunes (Grupo Visabeira) ou Gonçalo Quadros (Critical Software).

Os professores universitários Alfredo Marques, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, e Carlos Fiolhais e o gestor público Carlos Beja são outros dos primeiros subscritores.

No final do encontro, Norberto Pires disse à agência Lusa que a solução proposta de converter a base aérea de Monte Real num aeroporto de uso internacional, em rede com os aeroportos nacionais e ibéricos, representa um investimento inferior a 10 milhões de euros.

"A região Centro contribui fortemente para a riqueza nacional, merece ser olhada de uma forma diferente", vincou o presidente do conselho de administração do Coimbra iParque.

Segundo o professor universitário, factores como o "crescimento acima da média da capacidade empresarial da região Centro", o turismo, nomeadamente o religioso, grupos empresariais fortes e a inovação e o empreendedorismo existentes na região justificam esta aposta.

"Actualmente, as questões medem-se em tempo e não em distância. Uma empresa que está em Coimbra está sempre a mais uma hora dos centros internacionais de decisão", sublinhou.

De acordo com Norberto Pires, esta plataforma vai realizar "um grande fórum" sobre a região.

Mostrar que "investir na Região Centro é investir no país" é o principal objectivo deste fórum.

O ministro das Obras Públicas, Transportes e Comunicações encontra-se desde sexta-feira no distrito no âmbito da iniciativa "Coimbra Governo Presente", presidida pelo primeiro-ministro, José Sócrates.

MCS

Fonte: JN (http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Interior.aspx?content_id=957972)

 
Inserido em 15-06-2008
Temas relacionados <Geral>  <Notas de Imprensa