Painel Principal  :  Notícias (Histórico)  :  Centro de Neuroci...
Notícias - Histórico
 
  Aceleradora   Bolsas & Empregos IPN   Formação  
  Geral   Incentivos   Incubadora   Laboratórios de I&DT   Notas de Imprensa   Prémios   Transf. Tecnologia e PI  
 
Centro de Neurociências cria pólo de investigação
 
Desenvolver investigação na área da biotecnologia é um dos pressupostos da instalação de um pólo, junto ao Biocant Park, do Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra (CNC). A obra deve estar concluída em 2010, data em que, segundo a autarquia, serão três centenas os utilizadores do parque tecnológico.

O Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra (CNC) vai instalar, junto ao Biocant Park, em Cantanhede, um pólo para desenvolvimento das valências de investigação fundamental na área da Biotecnologia. A assinatura do contrato-programa, ontem, entre a autarquia de Cantanhede e o CNC, deu início a uma “parceria” para os próximos 20 anos.
Satisfeito por ter mais um centro junto ao Biocant Park, João Moura salientou que a instalação do CNC constitui “uma mais-valia”. Sem esquecer que “há um conjunto de infra-estruturas disponíveis”, o autarca pretende que “no futuro haja um conjunto de outras para acolher centenas de pessoas”. Porque o projecto do Biocant “não se esgota naquilo que foram os dois primeiros anos”, o edil sublinhou: “hoje (ontem) é um dia de muita alegria, em que se está a dar um passo muito importante”.
Para João Moura, o objectivo e previsão é que quando o edifício estiver concluído, haja “um número muito significativo de investigadores no parque de tecnologia”. O presidente da Câmara destacou que se espera que, já em 2010, o parque tecnológico de Cantanhede possua cerca de “três centenas de pessoas a trabalhar, sendo 200 altamente qualificadas”.
À semelhança do que já sucedeu com os dois edifícios do Biocant Park, o autarca acredita que também esta construção terá a comparticipação de fundos comunitários.
Catarina Oliveira afirmou que o momento de ontem constitui “uma oportunidade e um desafio” para o CNC, uma vez que vai ser gerada, através da construção de um edifício próprio, “uma ambiência ligada à investigação”. Além disso, a presidente do CNC referiu que a construção é uma “oportunidade que permite fazer uma transferência de conhecimento, extremamente importante, e que também permitirá avançar com um programa de formação em ambiência empresarial”.

Divulgar a ciência

Com a assinatura do contrato-programa, cuja duração é de 20 anos, e depois de adquirido o terreno à Associação do Beira Atlântico Parque (ABAP), o CNC “assume a responsabilidade de divulgar a ciência no concelho” de Cantanhede, para além de participar em diversas actividades, nomeadamente do Biocant Park, do Centro Ciência Júnior, entre outras.
Apoiando a investigação que vai ser desenvolvida no novo pólo, a autarquia de Cantanhede atribuirá ao CNC “um montante anual de 150 mil euros por um período de 20 anos”, pagamento que estará condicionado à entrada efectiva em funcionamento do referido pólo. Caso a actividade a ser desenvolvida venha a ser outra, que não a investigação e correspondente formação, o município de Cantanhede cessa a atribuição das verbas.
Como forma de fixar população no concelho, a Câmara de Cantanhede apoiará, “pela forma que vier a ser entendida como possível e mais adequada a ambas as partes”, a fixação de residência no concelho de investigadores e estudantes que venham trabalhar ou estudar no pólo. Para tal, a autarquia pode vir a avançar com a criação “de uma residência para estudantes na cidade”.
A construção do pólo, a cargo do CNC, ainda não tem data, prevendo que dentro de cerca de três meses “o projecto definitivo esteja pronto”, e que em Novembro se inicie a obra. Orçado em cerca de 4,5 milhões de euros, o edifício deve estar concluído um ano e meio depois do início da obra.

Fonte: As Beiras

 
Inserido em 04-03-2008
Temas relacionados <Geral