Painel Principal  :  Notícias (Histórico)  :  Agência Espacial ...
Notícias - Histórico
 
  Aceleradora   Bolsas & Empregos IPN   Formação  
  Geral   Incentivos   Incubadora   Laboratórios de I&DT   Notas de Imprensa   Prémios   Transf. Tecnologia e PI  
 
Agência Espacial Europeia destaca Instituto Pedro Nunes como caso de sucesso
 
Entre 2015 e 2018, o retorno do investimento da ESA em Portugal mais do que triplicou.

O Instituto Pedro Nunes (IPN), que coordena em Portugal três iniciativas da Agência Espacial Europeia (ESA), foi convidado a estar presente como caso de sucesso na iniciativa ESA’s Business Applications Annual Conference, a decorrer até ao dia 5 de junho, em Toulouse, França. No evento estão reunidos diversos players e especialistas do setor espacial europeu com o objetivo de fomentar parcerias e inspirar novas ideias de negócio.

Nos últimos anos, o IPN conquistou uma posição de destaque na promoção da economia espacial em Portugal, pelo apoio direto a empreendedores e startups. A implementação de várias iniciativas da ESA tem surtido efeitos positivos, tendo mesmo o modelo de trabalho do IPN sido replicado noutros locais da Europa.

Entre 2015 e 2018, o investimento da ESA em território nacional teve um retorno de 376%. Segundo Carlos Cerqueira, diretor de Inovação do IPN, “o investimento da ESA no nosso país tem tido, sem dúvida, um impacto muito significativo para o crescimento económico português, criando inovação, emprego e riqueza, em total alinhamento com a estratégia Portugal Espaço 2030”.

O centro de incubação de empresas da ESA em Portugal (ESA BIC Portugal), coordenado pelo IPN - e com polos no Parque de Ciência e Tecnologia da Universidade do Porto e na agência DNA Cascais -, apoia startups que transfiram tecnologia espacial para setores terrestres e empresas que operem no mercado espacial comercial.

São 27 as empresas já apoiadas pelo ESA BIC Portugal, com uma taxa de sobrevivência de 100%. Os números atuais apontam ainda para uma capacidade de exportação de 78% e um retorno anual de 4,6 milhões de euros.

O IPN dinamiza também o programa de transferência de tecnologia da ESA (Technology Transfer Brokers), que tem como objetivo principal apoiar a comercialização da tecnologia espacial em mercados não espaciais, e é embaixador do programa ESA Business Applications, tendo já apoiado 11 projetos portugueses que utilizam ativos espaciais, como é o caso de dados de observação da Terra, para criar novos produtos e serviços em mercados terrestres.

IPN apresenta dois exemplos de sucesso de transferência de tecnologia
Por ocasião da ESA’s Business Applications Annual Conference, o IPN deu conhecer ao ecossistema espacial internacional duas empresas portuguesas que, com o apoio da ESA e do IPN, transferiram tecnologia espacial para criar novos produtos e serviços em mercados terrestres: a Present Technologies e a Active Space Automation.

A Present Technologies, que já tem um produto a ser testado em dois aeroportos nacionais, foi uma das apoiadas pelo programa ESA Business Applications em 2015 para testar a viabilidade do modelo de negócio do SWAIR, um projeto focado na segurança da navegação aérea, através da monitorização da qualidade do sinal dos satélites. Com o apoio do IPN enquanto embaixador em Portugal, o modelo de negócio e as relações com potenciais clientes foram otimizados, permitindo que o SWAIR fosse o primeiro projeto Small Artes Apps a atingir a maturidade de um demonstrador.

Também com o apoio do IPN na transferência de tecnologia espacial para mercados terrestres, a Active Space Automation criou um veículo teleguiado para suporte à logística em ambientes industriais – o Active One - que incorpora o know-how que a Active Space Technologies adquiriu no desenvolvimento de um sistema robótico para os testes de locomoção de um rover utilizado na exploração da superfície e do subsolo de Marte na missão europeia ExoMars.
 
 
Inserido em 05-06-2019
Temas relacionados <Geral>  <Notas de Imprensa